fbpx
Menu

Homem é preso por resenhas falsas no TripAdvisor

1024 702 Oliveiras: Reis & Adas Advocacia

Um avaliador do TripAdvisor foi condenado a nove meses de prisão, em decisão histórica de um tribunal italiano em casos de fraude. O proprietário da Promo Salento foi condenado por vender avaliações falsas a centenas de empresas hoteleiras em toda a Itália, a fim de aumentar o seu perfil no site. Ele também foi condenado a pagar oito mil euros (cerca de trinta e oito mil reais). O Tribunal de Lecce disse que fazer avaliações falsas sob uma identidade falsa é crime segundo a lei italiana.

Este texto foi publicado em 12.09.2018, pelo The Guardian, e está disponível no idioma nativo em seu link original.

A investigação interna do TripAdvisor começou em 2015, quando os proprietários de empresas enviaram cartas recebidas da Promo Salento, oferecendo as avaliações por uma taxa, a fim de impulsionar os perfis das empresas no site. A equipe do TripAdvisor identificou e bloqueou mais de 1.000 tentativas da Promo Salento para publicar comentários.

A investigação policial sobre a Promo Salento forneceu evidências suficientes de conduta criminosa para enviar o caso ao tribunal“, disse a companhia norte-americana em um comunicado. A TripAdvisor colaborou formalmente com a promotoria, compartilhando evidências e fornecendo apoio jurídico. Esta é a primeira vez que uma fraude de revisão paga resultou em uma sentença de prisão, embora em muitas jurisdições, deliberadamente enganar consumidores usando marketing desleal ou enganoso pode levar a multas, e até a interdições.

Em alguns casos, relacionados ao TripAdvisor e outros sites de avaliação, foram concedidos danos morais a empresas que tiveram comentários falsos pagos negativos lançados; em outras ocasiões, a retenção de avaliações negativas para manter a reputação de determinadas instalações hoteleiras já gerou multas vultosas em outros locais.

Brad Young, vice-presidente e conselheiro geral do TripAdvisor, disse que a decisão do tribunal foi uma decisão crucial para a internet.“Investimos muito na prevenção de fraudes e temos sucesso em lidar com isso: desde 2015, colocamos um fim à atividade de mais de 60 empresas diferentes de avaliação paga em todo o mundo. No entanto, não podemos fazer isso sozinhos, e por isso estamos ansiosos para colaborar com as autoridades.

Pascal Lamy, presidente do Comitê Mundial de Ética do Turismo, disse que “as revisões online desempenham um papel importante no turismo e nas decisões de compra do consumidor, mas é importante que todos sigam as regras“. Números recentes do TripAdvisor mostram que o site tem mais de 500 milhões de avaliações e opiniões sobre sete milhões de propriedades, restaurantes e atrações. A empresa enfrenta crescente pressão por comentários e avaliações falsos e tem sido criticada por não fazer o suficiente para a prevenção da prática.

A empresa emprega uma equipe de investigadores que trabalham na captura de empresas de revisão paga e usa tecnologia avançada de rastreamento para analisar informações, incluindo localização de dispositivos e outros padrões incomuns que podem indicar se uma avaliação é tendenciosa ou falsa. O site também está trabalhando com as autoridades de fiscalização, ao redor do globo, o que pode sinalizar uma mudança na análise judicial de seu papel nestes casos.

Segundo a Comissão Européia, 82% das pessoas leem avaliações de consumidores antes de qualquer compra, com estimativas sugerindo que entre 1-16% das avaliações são falsas. A mudança no comportamento do consumidor resultou em conselhos como o Comitê Mundial de Ética do Turismo, que publicou diretrizes sobre o uso indevido de classificações e revisão em plataformas digitais no ano passado.“As recomendações foram desenvolvidas em colaboração com o TripAdvisor, Minube e Yelp, e sabemos que a colaboração da indústria tem um papel importante a desempenhar no combate à fraude”, disse Lamy.

Com as avaliações desempenhando um papel cada vez mais significativo no turismo, o TripAdvisor está pedindo aos consumidores e donos de empresas que são abordados por empresas de revisão paga que não se envolvam com eles e os relatem em seu site. A Autoridade de Concorrência e Mercados também dá as boas-vindas a qualquer informação relacionada com avaliações falsas (gov.uk).

AUTOR

Oliveiras: Reis & Adas Advocacia

Escritório de advocacia sediado em São Paulo e voltado para Direito Penal, Direito do Trabalho, Direito Tributário, Direito do Consumidor, Responsabilidade Civil e Direito de Família, oferecendo uma abordagem personalíssima e uma estrutura multidisciplinar e abrangente, focando nas medidas mais efetivas para o cliente.

Todas as histórias por: Oliveiras: Reis & Adas Advocacia